Advertisment

Kiria Malheiros em: A vida dos seus sonhos

  • 07/09/2017

O encontro foi pontual, ao lado da mãe, Karla – sua maior parceira -, algumas horas antes de Kiria chegar ao Teatro dos Grandes Atores para mais uma sessão de “O Novo Peter Pan”, onde faz o papel encantado da Sininho. Durante nosso papo, precisei me ater à brincadeira da Kiria com a própria pulseira pra lembrar que eu estava falando com uma criança. Mas não no mau sentido. Apesar de disciplinada, responsável, cheia de projetos e concentrada – ela leva seu trabalho muito a sério - ainda guarda consigo os sonhos, a espontaneidade, a esperança e o brilho no olhar de uma menina de 10 anos.

Queria começar te contando uma coisa. Quando conversei com a sua mãe, falei que, pra fazermos a entrevista, teria que ver um horário que você estivesse mais tranquila, por causa da correria. Sua mãe me responde logo: “ela tem muita energia”. Porque você é uma menina! A gente te vê na tv, e você é uma moça, não é uma menina. É gigante. Como é a Kiria brincalhona, cheia de energia, e que horas ela aparece? Ou ela está sempre aí?
Kiria: Eu estou sempre animada, cheia de energia. Eu nunca paro. E estou sempre animando a minha mãe. “Vamos lá ver isso, mãe”, “e aquilo!”, falo sempre. Gosto muito dessa vida que eu levo. Me completa. Eu fico feliz com isso. É o que eu sempre quero fazer.

Hoje você não se imagina fazendo outra coisa?
Kiria: Não. Eu gosto dessa loucura, adrenalina total. Eu adoro.

Você não sente que seu lado criança esteja ficando de lado, certo?
Kiria: Não. Levo minha vida normalmente. Escola, brincadeiras e tudo normalmente. Adoro!

Então conta mais pra gente como foi realizar esse seu sonho de se tornar uma artista tão cedo.
Kiria: Desde pequena, eu gostava de tirar foto, gostava de imitar as pessoas na televisão. Daí uma prima minha veio morar aqui no Rio e começou a me dizer que na cidade tinha muita coisa de ator e tudo. Daí decidi ver o que ia acontecer. A gente tinha participado do “Miss Teresópolis” e a gente ganhou. Minha mãe me incentivou. A gente chegou aqui e comecei a fazer alguns trabalhos; eu já fiz mais de 70 comerciais só nesse período.
Karla: Na verdade, no meio da publicidade ela já está há quatro anos. Em 2012, ela veio pro Rio por causa da novela. Mas publicidade já fazia antes.

Na TV, você estreou na novela Salve Jorge?
Kiria: Fiz filme e fiz uma série pra Globo mesmo chamada Junto e Misturado. Foi meu primeiro trabalho na Globo. Depois eu fiz Gaby Estrella, uma novelinha que passava num canal fechado e agora tive a honra de participar da novela Império, de novo estreando no horário das 21h.

Seu papel de estreia foi bem polêmico, por conta da situação da personagem. Como foi pra você fazer a Raissa de Salve Jorge?
Kiria: Eu tinha oito anos. Foi um desafio pra mim porque eu tinha que interpretar uma menina que tinha problema na família, com os pais, e isso nunca aconteceu na minha casa. Eu tenho uma super paz, me dou muito bem com meu pai e minha mãe. E eu tinha que interpretar aquela menina que, coitada, fico até com pena dela. Ela sofria muito, chorava, era deprimida. Não tinha um refúgio, uma fortaleza. Mas na minha cabeça era uma loucura fazer uma novela. Eu pensava “Não acredito, meu Deus! Estou fazendo uma novela!”.

Como foi esse primeiro momento? Como você chegou até ele? Antes era um sonho, e de repente você estava realizando. Como foi isso pro teu coração?
Kiria: Meu coração não aguentava. Quase explodi! Mas não a ponto de esquecer um texto. Eu sou muito preocupada com isso. Sempre passo o texto com a minha mãe, que é meu tudo. No começo, tive um nervoso porque não estava acostumada com aquela agitação toda. E, de repente, acostumei. Porque imagina, de um dia pro outro, começar a conviver com atores como Letícia Spiller, Caco Ciocler, Stênio Garcia...

E, na novela Império, você continua bem acompanhada.
Kiria: Lilia Cabral, maravilhosa! O pessoal é super simpático, me ajuda bastante. Eu aprendo muitas coisas  com eles. Acho muito legal esse carinho que eles têm comigo.

Hoje você está com 10 anos, mas tente se imaginar daqui a 20 anos. “De repente, 30”. O que você estaria fazendo? Qual é o teu sonho?
Kiria: Meu sonho é ser muito famosa. O que mais quero na vida é ganhar o Oscar, é pisar no Tapete Vermelho. Outro dia, estávamos vendo a premiação do Oscar e eu disse "Pai, quero ganhar o Oscar" e meu pai falou "Minha filha, meu Deus! Ok! Vamos ver se você vai ganhar". Meu sonho é mesmo ter o meu nome muito famoso. Quero ser conhecida.

Você então só quer continuar onde já está.
Kiria: Se Deus quiser, vou continuar. Só ele sabe. Tem que seguir a voz dele.

Agora, queria saber de você, Karla. Como tem sido essa experiência pra você que é a mãe, parceira e empresária?
Karla: Agora estou conseguindo descansar um pouquinho.  Ficamos aqui no Rio sozinhas um ano e meio. Meu marido e meu outro filho ficaram em Teresópolis. Eu não podia mexer na estrutura deles por causa da Kiria. E, depois de um tempo, falei que era hora de decidir. Se fosse pra ficar no Rio, teria que ser com a família toda. Tudo tem um prazo. E, então, eles vieram ficar com a gente. Agora, a mãe Karla está começando a voltar.
Kiria: Minha mãe ficava muito sozinha mesmo. A gente brincava, mas ela falava sempre "Se for pra acabar com a família, é melhor a gente ir pra Teresópolis". Porque nossa família é muito unida, sabe? Tem muita paz. A gente não podia fazer com que uma coisa que poderia não dar certo atrapalhasse.

Vocês pensaram em desistir?
Kiria: Não.
Karla: Não, nós só tomamos algumas decisões. Porque às vezes as pessoas que estão de fora pensam que tudo é fácil e maravilhoso. E não é assim. Nós nascemos em Teresópolis, e no Rio tudo é muito diferente, tanto o custo de vida como a cultura. E se adaptar a uma cidade muito quente - nós somos alérgicas a ar condicionado! – não foi fácil. 
Kiria: Em Teresópolis, o ar condicionado era natural!
Karla: É, nunca precisamos de ar condicionado lá...
E aqui, temos vivido com o pé no chão. A Kiria, depois que acabou a novela, ficou tranquila. Ficamos seis meses só com publicidade. E a gente vai levando uma vida normal. Ela grava a semana toda, tem o teatro no fim de semana e a gente viaja muito para eventos. Eu fico bem cansada, mas é bom. Eu sempre falo "Kiria, mamãe não tem mais o pique que você tem".

Mas ela está ao seu lado sempre te encorajando, não é?
Karla: É. E eu sempre respeito a vontade dela.
Kiria: Minha mãe sempre pergunta se eu quero ou não. Eu é que decido. Eu sempre aceito porque eu adoro, mas ela sempre me dá a opção.
Karla: É, porque o sonho não é meu. É dela.

Quais são suas lembranças de infância em Teresópolis, além do frio?
Kiria: O frio eu gosto pra dormir. Porque aqui, é aquele calor... eu gosto daquela cobertinha. Minha família também é de lá. Sinto falta. Então, minha vó e minha tia estão lá. E nessa correria nem sempre dá tempo de vê-los.

E o teatro, será uma nova paixão?
Kiria: Teatro é bem diferente da TV. Na TV, a gente precisa ficar atento aos enquadramentos, não pode abrir muito os braços porque senão sai da câmera. No teatro, pode ficar livre. Posso gritar, pular, falar alto, jogar tudo pra fora do palco. Pra mim é ótimo! E é a minha primeira peça. E começar no teatro fazendo a Sininho... gente, eu amo a Sininho!

Agora, uma diferença fundamental entre o teatro e a TV, hoje, é a presença da plateia, não é? Como se sente?
Kiria: Com certeza. Na TV, a gente não vê as pessoas que estão olhando. Se errar a gente pode gravar de novo. Teatro não! Se errar, tem que improvisar.

Você já precisou improvisar?
Bom, até agora eu não errei, mas eu adoro improvisar. Se tiver que improvisar, eu improviso. Tranquila!

A tua ideia é ficar fazendo teatro e TV pra sempre?
Kiria: Sim. Eu também gosto muito de Moda. Falei pra minha mãe “Quero ser modelo e estilista”. Eu falo sempre que, quando ficar famosa, quero ter uma marca com o meu nome.

Quem era a tua referência antes de você estar na tela, e agora, sendo uma atriz? Quem é o ator que você acha bacana?
Kiria: Antes de estar na TV, a minha referência era a Glória Pires. Adorava ela. Ela é linda e super simpática. E eu fiz um filme com ela! E a Fernanda Montenegro pra mim, hoje, é um enorme exemplo.

E hoje, você tem mais referência, agora que está fazendo parte desses bastidores?
Kiria: O Tony Ramos. Cada papel que ele faz, ele muda. Ele não é ele.

Consegue captar o personagem.
Kiria: Isso

E essa é a essência do ator, não é verdade? Você que está lá, sabe.
K: Sim. A Raissa era desobediente, mimada. A Bruna já é mais misteriosa, observadora, super diferente da Raissa. Nem se compara.

Como foi essa chegada em Salve Jorge?
Kiria: Nós fizemos antes o "Vida da Gente". Passei no teste, mas não era o perfil. Daí a agência encaminhou pra novela Salve Jorge. Eu falei “Meu deus, nós vamos!”. Demorou uns dois meses pra sair e a gente ainda estava em Teresópolis. Lembro que, naquela noite, quando o telefone fixo tocou, eu disse "Meu Deus, atende!". Aí minha mãe atendeu e a gente, no meio da noite, começou a gritar e chorar!
Karla: É. Só que, quando chegamos aqui, eles descobriram que éramos de Teresópolis. E a novela Salve Jorge tinha um elenco enorme, a maioria era de São Paulo. O custo com o deslocamento dos atores já estava altíssimo. E quando eu saí da Globo naquele dia, pensei que não ia acontecer. Depois ficamos sabendo que já estavam fazendo outros testes, procurando outras crianças com o perfil da Kiria. Combinamos que não íamos falar nada de Rede Globo em casa porque ficávamos naquela tensão o tempo todo.
Kiria: Porque nesse ramo também nada é certo. Você pode passar no teste, gravar, mas a gente só sabe que vai participar da novela mesmo quando passa na TV! A gente ainda não sabia desse negócio. E, aquele dia, a gente ficou arrasada.  
Karla: É. Daí passou mais um mês – isso durou cinco meses: o processo começou em janeiro e a gente só se mudou em junho. E acabou que não encontraram o perfil que queriam. Mesmo assim, não contamos pra ninguém. Deixamos na mão de Deus.
Kiria: Na novela Império, a gente também não falou nada pra ninguém.
Karla: E, a princípio, a Kiria tinha sido cotada pra Geração Brasil. Marcaram umas três vezes e desmarcaram. E a gente não estava entendendo nada. O outro diretor queria ela pra Império e, na mesma semana, saiu o resultado. Graças a Deus, ela gravou e está sendo um outro núcleo maravilhoso.
Kiria: É. Lilia Cabral, Maria Ribeiro, Caio Blat, Alexandre Nero...
Karla:  A Bruna, personagem da Kiria, é insatisfeita com a família.
Kiria: Ela odeia a família dela!
Karla: E ela acha que eles só falam de dinheiro. Ela se pergunta sempre: "que família é essa?”.
Mas é preciso assistir as cenas dos próximos capítulos para saber o que vai acontecer com ela e sua família (risos).

Busca

Editoriais

Facebook